Descobrir Portugal
Ericeira — A Sete Léguas de Lisboa
Roteiro
  • Família
  • História e Cultura
  • Sol e Praia

Ericeira — A Sete Léguas de Lisboa

Paraíso bem próximo da capital, a Ericeira é muito procurada nos meses de verão, quer pelas praias, pelas ondas, como pelo peixe e marisco fresco. Acompanhe-nos numa viagem através das ruas desta típica vila piscatória.

29 de julho 2016
Capela de São Sebastião

Dia1

Vamos começar esta viagem pela Ericeira com uma visita à Capela de São Sebastião, bem próxima da praia com o mesmo nome.
O edifício é branco, de dimensões pequenas, mas destaca-se sobre o fundo de mar que a acompanha. Datando dos séculos XV/XVI, encontra-se na zona norte da vila.
Por norma, costuma ter a porta aberta e consegue espreitar o interior, onde ficará espantado com os azulejos do séc. XVII que forram as paredes.
Aproveite a posição onde se encontra para apreciar a vista, que vai desde o Cabo da Roca a São Lourenço.

Porto de Pesca da Ericeira

Siga pela estrada que desce para o Porto de Pesca da Ericeira, passando pela Praia do Norte.
Ao contrário de outros portos, mais restritos, aqui vai poder caminhar por entre os barcos de faina, ver a rampa onde estes se fazem ao mar e até acompanhar a atividade dos pescadores locais. Mas, lembre-se, está numa área de trabalho, por isso circule com precaução.
Mesmo colado ao porto tem a Praia dos Pescadores, como não podia deixar de ser. Porque está protegido pelo molhe, é um areal muito procurado pelas famílias já que, por ali, as ondas pouco quebram.

Capela da Nossa Senhora da Boa Viagem

Comece agora a subir a Calçada da Praia, em direção ao topo da arriba e já começando a entrar no centro da vila.
Pelo caminho vai encontrar a Fonte da Lua. As histórias sobre esta bica são escassas mas não deixamos de pensar na utilidade que sempre teve para quem faz aquele caminho íngreme.
Chegado ao topo da calçada, está nas traseiras da Capela da Nossa Senhora da Boa Viagem.
Dê a volta ao pequeno quarteirão para conhecer esta igreja. Dizem que, em 1609, era a sede da Confraria de Nossa Senhora da Boa Viagem dos Homens do Mar e que chegou a ter o papel de farol, assinalando a entrada de barcos no porto e a chegada de temporais.
Talvez seja por isso, e de fazer o culto à santa dos pescadores, que todos os anos, no mês de agosto, tem um papel fundamental na procissão da festa local de homenagem à Nossa Senhora da Boa Viagem.

Ouriço

Aproveite que está neste local para beber um café e comer um ouriço. Não estamos a falar dos que vêm do mar mas terão sido estes a batizar o bolo típico da terra.
Saboreie esta delícia ao mesmo tempo que lança mais um olhar sobre o porto e a Praia dos Pescadores e saiba que foi daqui que, a 5 de outubro de 1910, a família real embarcou com destino ao Brasil, fugindo da revolução republicana.

Igreja de Santa Marta

Siga agora caminho pelo Largo das Ribas e pela Rua Capitão João Lopes, mesmo junto à linha do mar. Aqui vai achar o Ouriço, uma das mais antigas discotecas do país, fundada a 25 de agosto de 1960.
O espaço é pequeno, mas as suas paredes exteriores estão sempre a mudar a pintura, por isso tornam-se num mural para, quem por ali passa, apreciar.
Vire depois à esquerda, para o Largo de Santa Marta, onde encontra a igreja e a entrada para o parque com o mesmo nome.
Se levar crianças, este é um espaço para usufruir já que tem parque com baloiços e até um campo de minigolfe.

Furnas

Atravessando o parque vai sair junto das furnas. Era neste local que se encontravam os viveiros de marisco que forneciam a população e os restaurantes. Hoje, obsoletos, não deixam de ser um local curioso para caminhar ou apanhar banhos de sol. Se é apreciador de pesca, este sítio é ótimo para lançar a linha. Mas atenção aos dias de mar mais agitado.
Aqui, com uma explanada sobre o mar, fica o restaurante As Furnas, um dos mais antigos da vila e, também, um dos mais caros.
Se não se importa de pagar bem para comer marisco de qualidade, almoce por estas bandas. Se procura soluções menos dispendiosas, existem várias mais para o centro da vila.

Praia do Sul

Não beba café no restaurante. Temos o local perfeito para o fazer.
Contorne o Vila Galé Ericeira para encontrar a Praia do Sul. Não tem nada que enganar: é o grande edifício com telhados verdes que surge logo a seguir às furnas.
Neste calçadão encontra algumas esplanadas, protegidas do vento norte, onde pode apreciar o mar e a piscina natural ali formada na altura de maré vazia.
Caso queira fazer um pouco de praia, esta é uma ótima escolha, apesar de ser muito concorrida nos meses de verão.

Largo do Jogo da Bola

Vá agora até à Praça dos Navegantes e suba as escadas que o levam à Rua Dr. Eduardo Burnay. Aqui o trânsito é apenas pedestre e tem várias lojinhas de comércio local para espreitar.
Por curiosidade, procure o edifício coberto de azulejos com flor-de-lis e descubra o único que está ao contrário. Confirmamos que não é brincadeira.
A rua do comércio termina na Praça da República, também conhecida como Jogo da Bola. Não pense que vai encontrar aqui algum campo de futebol. Vai ter, sim, um largo cativante, rodeado de árvores e esplanadas onde pode descansar da caminhada ou comer um gelado. Ao final do dia o som dos pássaros pode ser mesmo ensurdecedor neste local.

Mercado Municipal da Ericeira

Siga em direção ao Mercado Municipal da Ericeira, passando pela rua dos restaurantes. Ao contrário de outros mercados do país, esta pitoresca praça está aberta até tarde. De domingo a quinta-feira, pode contar com o negócio aberto até às 15H00; às sextas e sábados, o horário estende até às 20H00.
Aqui não faltam produtos frescos, entre peixe, legumes e frutas. Há também uma bonita banca de flores e vários produtos da região saloia à venda.

Pelourinho da Ericeira

Caminhe pela Rua 5 de outubro até se deparar com a Igreja de São Pedro. Pelo caminho vai passar pelo antigo Pelourinho da Ericeira.
Localizada no largo com o mesmo nome, tornou-se na igreja matriz da vila em 1530.
Todo o edifício tem elementos de arquitetura rococó e figuras alusivas ao ciclo da pesca milagrosa do Apóstolo Pedro. Afinal, estamos em terra de pescadores.

Forte de Milreu

Temos um último local que tem mesmo que visitar, garantindo que vale a pena.
Percorra as pequenas ruas da vila que o levam de novo à Capela de São Sebastião, o nosso ponto de partida.
Se deixou aí o carro, conduza até à Praia da Empa. Saiba que a onda que quebra sobre a laje chama-se Pedra Branca e integra o conjunto de sete ondas que fizeram da Ericeira uma Reserva Mundial de Surf.
Mas o que nos leva aqui é o Forte de Milreu, também conhecido por Forte de Mil Regos.
Deixe o carro no parque de terra e siga a pé pelo caminho traçado na arriba até encontrar a fortaleza.
Construído entre 1670 e 1675, este forte tomou uma posição defensiva do acesso marítimo à Ericeira por norte e a proteção de desembarques na baía de Ribeira d’Ilhas.
E é com esta baía aos pés e vista sobre toda a Ericeira que sugerimos que termine esta viagem.

Desafio

Jagoz de Gema

Faça check-in com a App Via Verde e suba no ranking
Pontos de check-in:
  • Capela de São Sebastião
  • Porto de Pesca da Ericeira
  • Capela da Nossa Senhora da Boa Viagem
  • Igreja de Santa Marta
  • Praia do Sul
  • Praça do Jogo da Bola
  • Mercado Municipal da Ericeira
  • Igreja Matriz de São Pedro
  • Forte de Milreu

para ver os check-ins já feitos.

Ao completar Desafios, pode ganhar portagens gratuitas!

Programas relacionados

Ver mais Programas

Sugestões relacionadas