Descobrir Portugal
Reguengos e Monsaraz
Roteiro
  • Família
  • Natureza e Ar Livre
  • História e Cultura

Reguengos e Monsaraz

Entregue-se à hospitalidade do Alentejo, à sua cultura, à sua História. Durante um dia percorra Reguengos de Monsaraz e a vila de Monsaraz. Descubra os encantos desta região localizada bem no coração do Grande Lago.

04 de março 2016
Igreja Matriz de Santo António

Dia1

A Praça da Liberdade, centro de Reguengos de Monsaraz, é o ponto de partida deste roteiro. Este é o local ideal para estacionar o carro, pois o passeio que lhe sugerimos naquela que foi a Cidade Europeia do Vinho em 2015 é para ser feito a pé.
Comecemos pela Igreja Matriz de Santo António, que se destaca com a sua arquitetura neogótica-manuelina, bem ao estilo romântico de oitocentos. Sabia que esta igreja foi desenhada pelo arquiteto António José Dias da Silva, conhecido pela autoria da Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa?
Mas não é dele o busto que habita nesta praça, mas, sim, o de Manuel Augusto Mendes Papança, um dos grandes beneméritos da cidade e impulsionador da construção da Igreja Matriz e do edifício dos Paços do Concelho.

Paços do Concelho

Os Paços do Concelho são o nosso próximo foco de atenção. O edifício neoclássico nasceu naquele local em 1869 e é, desde aí, casa do executivo camarário. Se tiver oportunidade, tente uma visita ao Salão Nobre. O teto foi pintado por Gonçalo Jordão, o muralista português que integrou a Direção de Arte do filme “Grand Budapest Hotel”, num trabalho que lhe valeu o Óscar em 2015. Uma verdadeira obra de arte retratando os símbolos do Concelho.

Museu José Mestre Batista

Mas o edifício guarda outro local digno de visita: o Museu José Mestre Batista. O espaço foi inaugurado em 2014 e homenageia um dos maiores cavaleiros tauromáquicos portugueses, nascido no concelho. Aqui poderá ver imagens sobre a arte e vida de Batista, bem como símbolos de reconhecimento pelo seu trabalho entre os quais, o Grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, atribuído a título póstumo, e os seus fatos, arreios e selas, numa mostra onde brilha a cor e os bordados típicos da indumentária. O museu está aberto entre as 10h00 e as 13h00 e das 15h00 às 19h00 (encerra à segunda-feira). A entrada é gratuita.

Sala Conde de Monsaraz

Saia agora da Praça da Liberdade para a Rua Conde de Monsaraz, a apenas alguns passos de distância, onde vai encontrar a casa onde nasceu, em 1853, António de Macedo Papança, o Conde de Monsaraz.
O edifício alberga hoje a Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Visite as várias divisões, em particular a Sala do Conde de Monsaraz. As paredes e teto da antiga sala de jantar deste palacete ganharam nova vida após a recente remodelação que também contou com a assinatura de Gonçalo Jordão. Aliás, o trabalho do muralista português não fica por aqui, podendo ainda apreciar as pinturas realizadas no Mercado Municipal. Mas já lá vamos.
Por agora, num edifício anexo no jardim do palacete, pode visitar a Exposição Permanente Artes e Ofícios Tradicionais. Um conjunto de objetos representativos da identidade cultural local, numa ligação ao vinho, à vinha e à agricultura. O ex-libris desta exposição? A Taberna da Mouca, assim chamada porque a mulher do dono tinha problemas de audição.

Parque Municipal de Reguengos de Monsaraz

Volte para a Praça da Liberdade e siga no sentido oposto, passando pelo Auditório Municipal e pelo Café Central. A título de curiosidade, à época de Papança, era neste café que se reuniam ao final do dia os grandes latifundiários da zona. Hoje está fechado e aguarda um futuro mais risonho.
Seguindo em frente vai encontrar o Mercado Municipal, ponto de paragem dos habitantes para trocar dois dedos de conversa. Lembra-se de termos dito que Gonçalo Jordão também colocou os seus pincéis a bom uso nestas paredes? Entre para ver o interior e, quem sabe, comprar alguma fruta para enganar o estômago enquanto não almoça. Pode comê-la no Parque Municipal mesmo à frente.
Estamos quase a terminar a visita em Reguengos, mas não saia da cidade sem uma última vista de olhos à Praça de Touros, a cerca de 2 minutos do parque.

Rocha dos Namorados

Parta de carro em direção a São Pedro do Corval. São cerca de 5 km até lá. À entrada, não estranhe a peculiar pedra rodeada de pequenos bancos. É a Rocha dos Namorados. Segundo a tradição, as raparigas solteiras vão até ali, na segunda-feira de Páscoa, lançar uma pedra para o cimo do menir. Se a pedra ficar no topo significa que deve casar. Caso contrário, a pedra cair, terá que, pelo menos, aguardar até ao próximo ano. Quer experimentar a sorte?

Migas Alentejanas

Por esta altura já deverá estar pronto para almoçar e, porque está no Alentejo, o que sugerimos são umas belas migas acompanhadas com carne de porco. A Adega do Cachete é uma boa opção e na ementa tem outras delícias regionais às quais, garantimos, não vai resistir. E, para que saiba, as doses são generosas... mas o dia ainda vai a meio.
Está em São Pedro do Corval, o maior centro oleiro de Portugal e um dos maiores da Península Ibérica. Por isso, e para digerir o repasto, siga a pé pela estrada principal e visite as várias olarias que mostram os seus trabalhos porta sim, porta sim.

Convento de Nossa Senhora da Orada

Vamos agora em direção a Monsaraz mas com um pequeno desvio pelo caminho: o Cromeleque do Xerez. Este conjunto de menires é um dos mais importantes e magníficos da região, trazido para aquele local após a construção da Barragem do Alqueva.
Mesmo ao lado encontrará o Convento de Nossa Senhora da Orada. No meio da planície alentejana, este mosteiro, fundado pelos Agostinhos Descalços, começou a ser construído no início de 1700, tendo passado por vários períodos da história desta região.

Portas da Vila

Agora sim, conduza para Monsaraz, a vila-museu. Aos pés da muralha perca alguns minutos para absorver toda a imensidão da vista que se estende sobre o Alqueva. Não é à toa que lhe chamam o Grande Lago. Mas já lá vamos tocar nas suas águas.
Por agora, suba até às Portas da Vila e entre no interior das muralhas medievais construídas em xisto.
Casa da Inquisição

Siga sempre em frente pela Rua de Santiago. Aqui vai encontrar várias lojas de artesanato e pequenos restaurantes. No final, a Casa da Inquisição distingue-se pelo painel de azulejos azuis na fachada. Reza a história que este seria um local onde os inquisidores julgavam os prisioneiros. Mas, à falta de provas mais concretas, poderia também ser um espaço de arquivo ou uma prisão temporária.

Castelo de Monsaraz

Vire agora para a esquerda e suba a ladeira. Está no Castelo de Monsaraz. Entre e suba ao topo da muralha para, mais uma vez, se surpreender com a vista. No centro, ainda pode pensar que ali se realizaria alguma espécie de torneio medieval mas o espaço é aproveitado, sim, como praça de touros, nomeadamente durante as Festas em honra do Senhor Jesus dos Passos.

Igreja da Nossa Senhora da Lagoa

Abandone o castelo em direção ao Largo D. Nuno Álvares Pereira, praça central da vila onde vai encontrar a Igreja da Nossa Senhora da Lagoa e o Pelourinho. Nesta igreja de estilo renascentista destaca-se o xisto utilizado nas colunas e o painel de azulejos no frontão. Entre para ver o altar-mor em talha dourada, as decorações dos séculos XVII e XVIII e o túmulo de Gomes Martins Silvestre, o primeiro alcaide e povoador de Monsaraz.

Antigos Paços da Audiência

Nesta praça, para além da Casa da Misericórdia e da Casa Monsaraz, vai encontrar os antigos Paços de Audiência. Este é um dos edifícios mais nobres e representativos da Monsaraz antiga, acolhendo ainda o Museu do Fresco.
Na Sala do Tribunal vai descobrir um fresco do século XV que durante muito tempo esteve escondido por uma parede de tijolo e, só em 1958, durante as obras de requalificação, foi revelado e salvo de destruição.
O Museu do Fresco está aberto entre as 9h30 e as 17h30 e para o visitar terá de pagar 1€.

Alqueva

A visita está a chegar ao fim mas está junto ao Alqueva e, por isso, nada mais indicado do que terminar o dia nas suas margens.
Saindo de Monsaraz desça em direção ao Telheiro. Na rotunda vai encontrar placas com a indicação para o Centro Náutico. São cerca de 3 km até lá. Este espaço é muito procurado para a prática de atividades náuticas mas também para fazer uma pausa no bar-restaurante.

Desafio

O Senhor do Condado

Faça check-in com a App Via Verde e suba no ranking
Pontos de check-in:
  • Praça da Liberdade, Reguengos
  • Rocha dos Namorados
  • Convento de Nossa Senhora da Orada
  • Castelo de Monsaraz
  • Centro Náutico de Monsaraz

para ver os check-ins já feitos.

Ao completar Desafios, pode ganhar portagens gratuitas!

Sugestões relacionadas